Halloween em um pequeno vilarejo escocês

No ano passado, eu escrevi um post explicando um pouco sobre o Halloween na Escócia.  Mas, ao invés de sair para o guising (se fantasiar e pedir doces-ou-travessuras nas casas), nós havíamos ido a uma festinha de Halloween, na casa de amigos. Já este ano participamos de tudo: festa e guising.

A escola local organizou uma festa de Halloween, dias antes, para as crianças e os pais, e estava bem legal. Tinha todas as comidas e brincadeiras típicas de Halloween, a escola estava inteira decorada e os pais e as crianças capricharam nas fantasias. Tinha também um concurso de abóboras e de melhor fantasia.

No dia do Halloween mesmo, 31 de outubro, combinamos com outras crianças pra sairmos juntos para o guising. Está anoitecendo por volta de 5 da tarde, essa época do ano, então às 6 e pouco já é noite escura, e dá pra ficar na rua com as crianças um tempão, curtindo a noite, e ainda conseguir dormir cedo pra ir à escola no dia seguinte, o que é ótimo.

Pedro e uma das amiguinhas, percorrendo o vilarejo no Halloween.

Acreditava-se, antigamente, que neste dia os limites entre o mundo material do espiritual se embaralhavam, e fantasmas e toda espécie de seres sobrenaturais podiam andar à solta pela noite de Halloween. Para confundir os possíveis espíritos do mal que também atravessavam para o lado de cá, as pessoas começaram a se fantasiar de monstros e de outras coisas assustadoras, e é por isso que as fantasias costumam ser tenebrosas.

Outro detalhe é que não se pode bater em qualquer porta. A regra, por aquim, dita que só se pode bater na porta de casas que tiverem uma abóbora acesa na entrada. Se não há a abóbora, então é porque os moradores daquela casa não querem que as crianças batam lá. Felizmente, no nosso vilarejo, a maioria das pessoas é bem animada e coloca não só abóboras como também outras decorações:

E não basta só bater na porta e falar “Trick or treat!!”. As crianças têm que fazer algo para merecer o doce. Geralmente é contar uma piada, fazer algum truque ou cantar uma música. Como nossos filhotes ainda são pequenos, eu e a outra mãe ensinamos uma musiquinha simples de Halloween pra eles, e já era suficiente. A letra diz “Trick or treat, smell my feet, give us something good to eat!”

Em muitas casas, além dos doces, também há brincadeiras, e as crianças são convidadas para entrar e participar. Uma das mais populares é a Dookin’ for apples, em que se coloca várias maçãs em uma bacia com água e deve-se pegar uma com a boca. Uma outra alternativa é jogar um garfo do alto e tentar pescar uma maçã assim.

Pedro, tentando acertar uma maçã em uma das casas que visitou.

Outra brincadeira popular é a de comer um donut pendurado em linhas, sem usar as mãos:

Algumas casas também tinham sacos com moedas de valores diferentes e as crianças colocavam a mão e tiravam uma, sem ver. E podiam ficar com a moeda depois.

Passamos mais de uma hora percorrendo o vilarejo e visitando casas, até a criançada cansar. Pra elas, o Halloween é um super evento, tão divertido quanto o Natal.

Um casal de velhinhos escoceses, de uma das casas que visitamos, me contou que, antigamente, o mais comum eram as festas em casa, com todas essas brincadeiras, fantasias e comidas típicas. Mas hoje em dia, a preferência pelo guising tem ficado maior. As mães saem com as crianças mas sempre fica alguém em casa, encarregado de distribuir os doces para quem bater à porta. No nosso caso, a missão ficou com nossa intercambista/hóspede boliviana, que achou a experiência super bacana e se divertiu com as fantasias e as performances das crianças. Quando acontece de ninguém poder ficar em casa, como em 2 casas que fomos aqui, as pessoas deixam cestos com doces ao lado da abóbora e – pasmem!! – cada criança pega apenas um e segue seu caminho. Créditos para mães e pais escoceses educados que ensinam e supervisionam.  👻🎃🌕 🍭🍬🍫

Anteriores

Direito de Vagar – o que é?

  1. telmo jr

    Parece muito saudável e muito organizado, é visível que eles tem um cultura de organização e regras, na veia, e em muitas situações aplicam essa cultura de maneira natural e simples..
    Ótimo lugar pra criar os filhos rs.

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén