A Muralha de Antonine foi uma das duas muralhas que os romanos construíram no Reino Unido.

A primeira delas foi a Muralha de Adriano, iniciada em 122 DC, pelo imperador romano de mesmo nome. Ela acabou sendo também a primeira “fronteira” entre ingleses e escoceses, apesar de que, naquela época, vários povos diferentes habitavam a Ilha e não havia essa noção de unidade nacional.

Um historiador romano da época escreveu que a Muralha de Adriano foi construída para separar os povos civilizados (leia-se ingleses) dos povos bárbaros (leia-se escoceses!). Eu não tiro a razão deles. Os escoceses daquela época deviam ser mesmo osso duro de roer. Enquanto os ingleses, como todos sabemos, sempre foram os mais educados do mundo, e devem ter oferecido chá para os romanos. Talvez os escoceses tenham tentado ser gentis também, mas ofereceram haggis e isso deve ter feito os pobres romanos voltarem correndo para a Inglaterra.

Mapa da Muralha de Adriano.

A Muralha de Adriano fica, hoje, toda na Inglaterra, e ainda existem vários pedaços preservados dela, principalmente na região de Carlisle.

Anos depois, os romanos conseguiram avançar um pouco mais para o norte e construíram a Muralha de Antonine em 144 DC. Essa muralha delimitava a fronteira máxima ao norte do Império Romano. Na verdade, ela nunca chegou a ser uma muralha, mesmo. Era uma trincheira, uma vala profunda coberta com pedras e turfas. O objetivo era apenas de marcação, mesmo. Possuía 60 kms de extensão e uma série de fortes militares e postos de controle ao longo dela. Foi um feito incrível para a época, mas acabou abandonada menos de uma geração depois, em 160DC.

Mapa das duas Muralhas.

Em Falkirk, existe uma série de trilhas que levam até o que sobrou da Muralha e de um Forte Romano.

E essa parte cavada que vocês veem na foto abaixo é ela. Ou melhor, parte dela. Essa “trincheira” segue adiante para os dois lados, até onde a vista alcança – mas a foto não alcançou, desculpem. Nesta foto, ela está lindamente destacada por um resto de neve:

Fiquei tão animada com o aspecto dramático desse bosque que esqueci de bater mais fotos mostrando a “Muralha” de forma mais clara. Acontece. Mas deu pra vocês entenderem como é, né?! 😳

Um pouco adiante, ao lado da Muralha, ficam as ruínas do Rough Castle, como é chamado esse antigo Forte Romano:

Fonte: Visit Falkirk.

Depois que os romanos foram embora da Escócia, as vizinhanças da Muralha continuaram sendo ocupadas pelos povos locais, que certamente usaram muitas de suas pedras em suas próprias construções. A Muralha ficou conhecida, até o período medieval, como “Grymisdyke” (não perguntem! era a língua esquisita deles), e ninguém se lembrava mais da ocupação romana. Durante a industrialização escocesa, várias partes dela foram cavadas, destruídas e queimadas. Felizmente, hoje, ela é super protegida.

Quem quiser saber mais sobre a muralha, pode acessar o Site Oficial, com conteúdo em inglês.