Gatos na Escócia

Eu sou uma louca dos gatos que veio pra Escócia com 4 gatos (!!!!) a tiracolo, então é óbvio que eu tinha que fazer um post sobre gatos.

bb38ccc328a7054419ff938d9d2b7804

Meus gatos nunca tiveram acesso à rua. Mesmo porque, no Brasil, além do risco de atropelamento e brigas com outros gatos, também existe o risco ENORME de serem envenenados ou agredidos por pessoas do mal (de que outro jeito descrever gente assim?!).

Meus gatos também foram todos encontrados na rua, estropiados e desesperançosos. E eu ainda não vi nenhum gato ou cachorro de rua por aqui. Essa era uma coisa que me causava grande dor no Brasil, ver tantos animais de rua. Mas aqui….nada. Eu sei que existem animais sem donos, porque tem várias instituições e abrigos que anunciam gatos e cachorros para doação e fazem campanhas de arrecadação de dinheiro para mantê-los. Mas, de rua, nenhum.

Já, na rua, vejo muitos gatunos, mas todos com donos. Por lei, na Escócia, os gatos são animais “vagantes”, e possuem o direito de sair por aí porque isso faz parte do comportamento deles. Todos os dias, pelo menos uns 4 gatos de vizinhos passam pelo meu quintal, para extrema indignação dos meus gatos, que não possuem autorização para sair e ficam só observando os outros bichanos pelas janelas.

As pessoas deixam os gatos livres porque, realmente, não percebem risco nenhum. A cidade é pequena, ou seja, o risco de atropelamento é mínimo, e também de os gatos se perderem. E não há chance de alguém maltratá-los. Todo mundo respeita. Quem gosta, até chama, faz carinho (eu, por ex). Quem não gosta, finge que nem viu e pronto. E é o lógico. Que mal pode fazer um gatinho? Sem falar que é crime gravíssimo maltratar um animal – como no Brasil, aliás, a diferença é que aqui não tem a impunidade de lá.

Também não é incomum que lugares turísticos tenham seus próprios gatos de estimação. Como, por ex, o gato William, que se considera dono da Capela de Rosslyn – aquela que apareceu no filme “O Código Da Vinci”.

william

William passa seus dias cochilando nos bancos da capela, passeando em seus jardins ou pedindo carinho para os turistas. À noite, ele vai para a casa dos humanos dele, embora tenha uma caminha própria e comida à vontade na Capela.

Ele é tão famoso, que existe um livro infantil sobre ele e uma série de souvenirs à venda na lojinha de Rosslyn.

screen-shot-2016-10-04-at-18-37-41

Outro gato famoso da Escócia atual é o ruivo Parsley, que mora na cidade de Oban. A dona dele o presenteou com uma coleira com GPS, e criou uma página no facebook pra divulgar as andanças e estripulias do bichano. Parsley tem uma vida social agitada: toma café-da-manhã no hotel da cidade, vai à missa, visita amigos humanos no pub local… ele anda por Oban inteira, principalmente pontos turísticos. Bate fotos com turistas e tudo, é uma simpatia! Foi, inclusive, oficialmente nomeado “Ministro do Gatos”, e volta e meia aparece em jornais e na TV.

getimage-aspx

Ele tem milhares de fãs no mundo inteiro, e a cidade inteira o conhece. Pra quem quiser conferir, segue o link do facebook dessa figura:
https://www.facebook.com/ParsleyOban/

Anteriores

14 coisas que fazem da Escócia o país mais legal do mundo

Próximo

Thistle – a flor da Escócia

4 Comentários

  1. Renata

    Que emocionante! Espero conseguir ver o William!
    🙂

    • Anelise

      Ele está sempre por lá! 🙂 Se conseguir, bate uma foto com ele e me manda!

  2. Ahhhhh, que legal! Viajo praí em Setembro e fiquei super empolgada de levar meu Remo agora. Mesmo ele sendo castrado, tenho muito medo de deixá-lo (mesmo que seja só até me estabilizar) e acontecer algo enquanto estiver fora. Ele nao tem permissão para sair também, mas caso fique na minha sogra nao tenho como controlar – é casa e é enorme. Como você fez para levar os seus? Beijos!

    • Anelise

      Oi!! Se for um gato só, acredito que você consiga levar dentro do avião,na cabine com você. Tem que conferir com a companhia aérea e também procurar na internet quais os requisitos para entrada de animais no Reino Unido (não vou conseguir lembrar todos agora, mas incluem chip, vacina anti-rábica e exame de sorologia, e tem que respeitar os prazos de exames e vacinas). Os meus vieram pela Lufthansa, que tem fama de ser muito boa com animais. A KLM também é bem conceituada pra isso. Como os meus eram 4, tiveram que vir como cargo e aí é outra longa história. Dá uma pesquisada, se tiver alguma dúvida me avisa. Beijos!

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén